terça-feira, 19 de abril de 2016

Marcador | Arquipélago de Joel Neto


Arquipélago 

Açores, 1980. Uma criança desaparecida. Um homem que não sente os terramotos.

Quando um grande terramoto faz estremecer a ilha Terceira, o pequeno José Artur Drumonde dá-se conta de que não consegue sentir a terra tremer debaixo dos pés. Inexplicável, esse mistério há-de acompanhá-lo durante toda a vida. Mas, entretanto, é hora de participar na reconstrução da ilha, tarefa a que os passos e os ensinamentos do avô trazem sentido de missão.

Já professor universitário, carregando a bagagem de um casamento desfeito e uma carreira em risco, José Artur volta aos Açores. Durante as obras de remodelação da casa do avô, é descoberto um cadáver que o levará em busca dos segredos da família, da história oculta do arquipélago e de uma seita ritualista com ecos do mito da Atlântida. Mas é nos ódios que separam dois clãs rivais que o professor tentará descobrir tudo o que os anos, a insularidade e os destroços do grande terramoto haviam soterrado…

Usando a mestria narrativa e o apuro literário dos clássicos, bem como um dom especial para trazer à vida os lugares, as gentes e a História dos Açores, Joel Neto apresenta o romance Arquipélago, em que a ilha é também protagonista.

«Uma belíssima geografia de recomeços. São silêncios como estes que nos agarram pela intimidade. E pela culpa.»
Miguel Guedes

Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 460
Editor: Marcador
ISBN: 9789897541698
Coleção: Marcador Literatura
Dimensões: 155 x 235 x 3 mm
Encadernação: Capa mole
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática:
Livros em Português
Poderão ler as primeiras páginas aqui
Poderão ler a minha opinião aqui



Joel Neto (Angra do Heroísmo3 de Março 1974) é um escritor e cronista 

português, autor de Arquipélago.


Autor de ArquipélagoOs Sítios Sem Resposta e O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas, entre outros, Joel Neto publica diariamente no jornal Diário de Notícias a coluna A Vida No Campo, série de relatos sobre o seu próprio regresso à Terra Chã, freguesia rural da ilha Terceira (Açores).
O seu primeiro romance, O Terceiro Servo, integra o Plano Regional de Leitura dos Açores e fez parte da área de Estudos Açorianos da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, no Brasil. O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas, que publicou a seguir, foi adoptado como leitura obrigatória pela Universidade dos AçoresJosé Mourinho, o Vencedor, biografia do treinador de futebol homónimo, foi traduzido em Inglaterra e na Polónia.
Para além dos livros e dos contos dispersos, que o representam em antologias em Portugal, Espanha, Itália ou Brasil, mantém, enquanto cronista, colaboração activa com diferentes jornais portugueses, açorianos e da diáspora portuguesa nos Estados Unidos e no Canadá.
Estudou Relações Internacionais e, como jornalista, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, nas qualidades de repórter, editor, chefe de redacção, comentador, autor de conteúdos e apresentador. Grande ReportagemVolta ao MundoNS' , FocusJornal de Notícias e O Jogo são apenas algumas das publicações a que ligou o seu nome.
Na estação pública açoriana de televisão, RTP/Açores, os seus programas Choque de Gerações (2004-2005) e História da Minha Vida (2005-2007) atingiram alguma notoriedade. Foi colaborador da TSF-Rádio Jornal, integrou o painel de comentadores de golfe da estação SportTV e ganhou os prémios Gazeta de Reportagem, José Roquette e Jornal da Praia.
Vive entre a Terra Chã, onde cresceu, e a cidade de Lisboa.

Sem comentários:

Enviar um comentário